PRESCRITORA DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL

1924

Ana María Lajusticia Bergasa nasceu em Bilbao, a 26 de julho de 1924, filha de Jesús Lajusticia Alonso e Delfina Bergasa Goyenechea. Entre as suas recordações de infância destacam-se as relacionadas com a alimentação tradicional e o aproveitamento de ingredientes tanto animais como vegetais que foram desaparecendo da gastronomia atual. O antigo modo de cultivo dos vegetais, a recuperação do colagénio das articulações das carnes e os longos processos de cocção eram elementos quotidianos que mais tarde quis recuperar de uma forma única.
Ana María Lajusticia descreve uma infância feliz que se viu perturbada pelas vicissitudes da Guerra Civil Espanhola (1936-1939).

Após o falecimento do seu pai em 1937, começou a sentir taquicardias noturnas relacionadas com a necessidade de ser boa estudante, para assim contribuir para a economia familiar cujas rédeas eram levadas por um tio materno. Com 15 anos mudou-se com a sua família para Madrid. Realizou os estudos secundários e no ano letivo de 1941-1942, influenciada pela sua avó Felicidad Goyenechea Artaza, iniciou o curso de bioquímica.

1937

1947

Em 1947, figura como uma das poucas mulheres que conseguiram não só terminar a licenciatura como também fazê-lo com um aproveitamento brilhante. Ela atribui o êxito à constância, à disciplina e à curiosidade. Em 1948 foi viver para a província de Girona, já que ali encontrou trabalho nas Minas de Osor.

Como contou já em várias ocasiões: «Usei durante 21 anos um corpete de varetas; sei o que é estar doente, sei o que é estar bem.» Refere-se à prescrição médica que lhe fizeram em 1955 e que cumpriu à risca até 1973. Com 43 anos diagnosticaram-se uma diabetes tipo II que não augurava a longevidade e a extraordinária saúde que exibe hoje em dia. Graças à sua formação como química, investigou até encontrar o problema: a sua alimentação era muito deficiente. Carecia de fontes de proteínas e vitamina C, excedia-se no consumo de hidratos de carbono, e os legumes que consumia eram pobres em magnésio.

1955

1976

Através de uma alteração na alimentação e um aumento significativo do fornecimento de magnésio, a sua vida mudou. Com 52 anos deixou de usar corpete e teve de lidar com as consequências da atonia muscular que esse suporte artificial tinha provocado nas suas costas. A própria cura, o descobrir na própria pele o imenso bem que pode fazer uma alimentação corrigida e adaptada transformou esta basca uma enorme defensora da causa do magnésio e de outros elementos que tão bem fazem à nossa saúde.

Ana María Lajusticia criou a sua própria marca de suplementos alimentares com o seu nome e imagem, com o objetivo de levar a todas as pessoas os nutrientes tão necessários para o cuidado e a preservação da saúde. Desde então, tem-se dedicado incansavelmente à divulgação dos seus vastos conhecimentos em dietética e nutrição através de diferentes meios para ajudar a promover um estilo de vida saudável.

1980

ESTUDIOSA, ESCRITORA E CONFERENCISTA

Os seus vastos conhecimentos teóricos e práticos levaram Ana María Lajusticia a escrever a sua primeira obra La alimentación equilibrada en la vida moderna (a alimentação equilibrada na vida moderna), que se traduziu num êxito extraordinário. Publicou doze livros, entre os quais se destacam El Magnesio, clave para la salud (o magnésio, chave para a saúde), La artrosis y su solución (a artrose e a sua solução), Dietas a la carta (dietas à medida), Los problemas del adulto (os problemas do adulto), Alimentación y Rendimiento Intelectual (alimentação e rendimento intelectual), Colesterol y Triglicéridos (colesterol e triglicéridos).

De entre os livros publicados, é de ressaltar o seu primeiro livro editado em 1979 El Magnesio, clave para la salud (o magnésio, chave para a saúde), um best-seller da época, do qual, nesse mesmo ano, se chegaram a fazer 7 edições.

No ano 2000 assinou um contrato com a EDAF, escrevendo a sua primeira obra para esta editora: Vencer la osteoporosis (vencer a osteoporose), à qual se seguiram edições atualizadas com novos estudos dos seus anteriores livros e, posteriormente, mais duas obras inéditas; no ano 2006, La respuesta está en el Colágeno (a resposta está no colagénio) e, em 2014, El magnesio en el deporte (o magnésio no desporto). A primeira das suas obras, El magnesio, clave para la salud (o magnésio, chave para a saúde) e La artrosis y su solución (artrose e a sua solução) foram traduzidas para francês, alemão, holandês e polaco. Além disso, estão também disponíveis em alemão Dietas a la carta (dietas à medida), Vencer la osteoporosis (vencer a osteoporose), La respuesta está en el Colágeno (a resposta está no colagénio) e El magnesio en el deporte (o magnésio no desporto).

Mulher empreendedora e enérgica, mudou-se para Barcelona em 1973 e participou num negócio partilhado na rua Laforja 63. Foi em 1980 que registou a sua própria marca Ana Maria Lajusticia®. Atualmente, o seu filho Manuel Feliu, diretor-geral da empresa Distribuciones Feliu, S.L., promove e distribui os seus produtos, que ela, aos seus 96 anos, continua a formular com a paixão por melhorar o bem-estar de todos.

Mantém uma intensa atividade social através das redes sociais graças aos seus colaboradores. Atualmente, conta com mais de 70.000 mil seguidores na sua página de Facebook e um canal próprio de YouTube onde publica semanalmente conteúdo relacionado com a saúde. Este, além das suas conferências, workshops e entrevistas, é uma maneira de Ana María Lajusticia, aos seus 96 anos, conservar o contacto com os seus fiéis seguidores. Apesar de se sentir satisfeita com a enorme recuperação que teve o seu trabalho a favor dos complementos alimentares, está plenamente convencida de que a «revolução do magnésio» está por chegar.

É uma consumidora quotidiana dos seus próprios produtos pelo seu efeito na conversação da flexibilidade articular, na motilidade intestinal e digestiva, tendo em conta também os desafios intelectuais que tem de enfrentar nos dias de hoje com rigor e paixão.